sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

O Fim

Nenhum comentário:
                É complicado pensar que tantos anos se passaram desde que comecei minha vida na Internet. Eu tinha apenas 12 anos quando comecei meu primeiro blog com minhas amigas (o chamado World of Barbie). No começo, era apenas um projeto da escola, mas depois nos empolgamos mesmo e só fomos parar quando percebemos que Barbie já não era um assunto que conseguíamos explorar.
                Então, criei meu blog It’s For Fans para relatar a vida dos meus famosos favoritos. Mas a verdade é que nunca fui fã tão assídua de nenhum deles para gastar minha vida pensando na dos outros. Porém, esse período de transição foi importante para perceber sobre o que realmente gostava de escrever: livros.
                Por isso, em fevereiro de 2011, eu e Babi começamos um blog sobre livros e histórias, o chamado Feitiço das Palavras. Durante anos, escrevemos nossas novelas, nossos poemas e tudo mais nesse nosso cantinho especial. Entretanto, em 2013, nosso blog começou a ter posts cada vez mais raros e finalmente, em 2014, só publiquei 11 posts (66 posts a menos do que o ano anterior).
                A verdade é que crescemos. Eu e Babi estamos prestes a começar nosso último ano no Ensino Médio e nossas vidas mudaram. Temos horários muito corridos e a responsabilidade sempre nos mantém em uma grande pressa. Agora com o vestibular tão perto, terei ainda menos tempo de postar e nem sei se conseguiria bater a mínima contagem de posts de 2014. E o pior de tudo é que eu não quero ser pressionada a isso.
                Graças a isso tudo, percebi uma coisa: o ciclo do Feitiço das Palavras se encerrou. Nós não somos as mesmas meninas de antes e nem precisamos ser. A Babi já não posta por aqui desde meu aniversário em 2013, então acho que ela também concorda comigo nessa posição! Agora que ela está se preparando para prestar Medicina, sei que terá menos tempo ainda e isso é super compreensível.
                Porém, eu vou prestar Letras e continuo louca para poder escrever minhas histórias. Então, resolvi tomar uma decisão bastante importante: começarei meu próprio blog sobre meu sonho. Um blog mais pessoal e mais preciso sobre quem eu sou e quem eu quero ser. E para que eu possa ser tudo isso preciso me libertar de alguém muito importante: a StarGirlie.
                Meu pseudônimo desde os tempos da Barbie não se aplica a mais quem eu sou. Continuo toda romântica como antes, mas preciso ser eu mesma de agora em diante. Continuarei a ser misteriosa como sempre, entretanto uma coisa não esconderei mais. Então...
                Opa, opa! Se vocês quiserem saber meu nome verdadeiro terão que acessar meu novo blog: O Diário de uma Escritora Iniciante. Estou super ansiosa para lhes mostrar meu novo mundinho e espero que vocês me acompanhem nessa nova parte de minha jornada!

Pela última vez, beijinhos, StarGirlie.

quarta-feira, 9 de julho de 2014

The Carrie Diaries: a série viciante que me afastou do blog!

29 comentários:
      Estou sem postar há dois dias, porque me viciei totalmente em uma série e não tinha tempo para o blog enquanto assistia os episódios de: The Carrie Diaries. O seriado conta a história de Carrie Bradshaw, uma das quatro amigas de Sex and the City, durante seu colegial, ou seja, antes da série citada começar.
      Carrie é uma garota de 16 anos que acabou de perder sua mãe por causa do câncer e que acredita que chegou o momento de saber quem ela mesma é. De apenas uma coisa, a baixinha de cachinhos dourados tem certeza: ela ama New York, ou como ela carinhosamente chama, A Cidade.
      Quando seu pai arranja um estágio para Carrie em um escritório de advocacia na cidade, a adolescente precisa equilibrar sua vida em Manhattan e a em Castlebury, a cidadezinha onde vivem sua família, seus amigos e seu grande amor: Sebastian Kydd.
      Eu sinceramente AMO essa série e fico muito triste de saber que ela foi cancelada. Porém, The Carrie Diaries teve 2 temporadas e, pelo que li na internet, o season finale da 2ª foi suficiente para finalizar todas as histórias pendentes. Ou seja, quem começar a ver não vai ficar revoltado no último episódio!
         Já assisti até o episódio 3 da segunda temporada (cada uma tem 13 capítulos) e continuo torcendo muito para o casal Kyddshaw se acertar, apesar de Carrie ser meio neurótica e sempre conseguir destruir seu relacionamento com o lindo do Sebastian.
         A série tem uma história bastante fofa, divertida e realista de se assistir. A maioria das vezes você se identifica muito com as storylines, o que te obriga a assistir os outros capítulos para saber o que vem a seguir. Mesmo sabendo o que acontece em Sex and the City, não posso resistir a fazer meus falsos futuros para a Carrie e aproveitar suas loucuras adolescentes.
       Por causa desses 16 episódios que assisti em dois dias, não podia postar aqui e estou MEGA atrasada na minha leitura para o Desafio. Hoje vou passar o dia todo lendo e só devo postar a resposta da Quarta Etapa bem perto da meia-noite. Espero que vocês me entendam!
       Segue abaixo algumas fotos da série para vocês se animarem a assistir também:





Beijinhos, StarGirlie.

domingo, 6 de julho de 2014

Etapa 3 do Desafio: O Quote Perfeito

25 comentários:
       Tenho uma boa e uma má notícia para contar a vocês. Como nunca se deve começar um post já despejando coisas ruins para cima de ninguém, vamos começar a novidade animadora: eu consegui terminar a terceira etapa e ainda com vantagem (estou escrevendo esse post às 5:54 da manhã de domingo)!
       Já a parte chata é a de que ainda não consegui começar o quarto livro, como planejei na última etapa, pois não consegui me animar com a leitura do meu escolhido para ser o Terceiro Livro. Apesar de ter amado "Hush, Hush - Sussurro", acabei suportando a leitura de "Hush, Hush - Crescendo". Não sei se eu amadureci e abandonei minha paixão por romances de anjos e demônios (um motivo que também deixou "Êxtase", da Lauren Kate, encalhado na minha estante) ou se a leitura do segundo volume da série foi realmente mais entediante do que o incrível primeiro livro.
       Sem grandes cenas nem grandes enredos, tive dificuldade para cumprir a terceira etapa, mas deu tudo certo no final. Então, vamos ao que interessa...



Terceiro Livro
Você está chegando quase à metade de seu percurso e agora é hora de se esforçar ainda mais. Para que você preste muita atenção em sua leitura, sua missão é encontrar um quote perfeito que mostre a alma do livro para seus leitores e explicar o porquê de tê-lo escolhido.

"Não tenho medo do inferno. Mereço o que vou receber. Menti, trapaceei, enganei, feri gente inocente. Cometi mais erros do que posso me lembrar. De um jeito ou de outro, venho pagando por eles por toda a minha existência. O inferno não será diferente. A boca se abriu em um rápido sorriso amargo. Mas tenho certeza de que os arcanjos guardam algumas cartas nas mangas. O sorriso desapareceu e ele me olhou em uma honestidade desarmada. Estar com você nunca me pareceu errado. É a única escolha certa que fiz. Você é a minha única escolha correta. Não me importo com os arcanjos. Diga-me o que você quer que eu faça. Diga o que quer. Faça o que você quiser. Podemos sair daqui agora." (p. 160)
       
       Essas frases ditas por Patch para Nora foram o meu quote perfeito, pois resume de forma bastante clara o amor do ex-anjo caído pela protagonista de Hush, Hush. Apesar de passarmos grande parte do livro sendo levados a acreditar que o querido badboy é o grande traidor da história, esse quote não saiu da minha cabeça. Mesmo não gostando de Nora, fiquei seriamente irritada com o anjo durante 90% do enredo e talvez seja por isso que "Crescendo" não me conquistou. O amor dos dois sempre foi o combustível da série (como mostrei ao escolher esse quote) e o desenrolar dos acontecimentos me decepcionou de todas as formas possíveis. Quando eu achava que ia me apaixonar pela história, BOOM! e tudo foi pelos ares novamente.
       Embora um gancho tenha sido apresentado nas últimas duas páginas (e de forma bastante rude e levemente desconexa, vale dizer), não continuarei a ler a série. Não comprei nenhum dos livros que seguem "Crescendo", então não estou com peso na consciência! Estou um pouco cansada dessas histórias sobrenaturais sob o molde de Edward-e-Bella e "Hush, Hush" não me apresentou nada novo que me prenda.
       Porém, não é porque não amei "Crescendo" que o Desafio acabou. É mais do que hora de passarmos para:
Quarto Livro
Hoje em dia, é muito comum livros serem adaptados para filmes, séries ou até mesmo peças de teatro. Sua missão é escolher um livro que tenha sido adaptado, ver uma de suas adaptações e apresentar aos seus leitores o que mais te chamou atenção nas duas.

Essa etapa vai ser mais difícil, mas já tenho meu escolhido! Espero que vocês continuem me acompanhando nessa jornada.
Beijinhos, StarGirlie.
       

sábado, 5 de julho de 2014

Nós não estamos em um flashback

9 comentários:
        Jasmim entrou na sala de aula. Seu cabelo loiro estava espalhado pelos seus ombros e seus olhos demonstravam o quanto de cansaço ela sentia. Estava prestes a sentar em seu lugar habitual quando o viu.
        O garoto que fora sua primeira paixão, o mesmo menino que ela adorara com sete anos de idade, estava sentado no final de sua fileira. Nove anos depois e ele ainda tinha os mesmos olhos castanhos.
          -Jasmim? - a voz dele ecoou pela sala, mas, por algum motivo, a adolescente não se sentia confortável com aquele contato. Não parecia certo mexer com algo que fora esquecido há tanto tempo - Eu não acredito estamos na mesma sala de novo!
          -Oi, Rafael - Jas sentiu os braços dele a envolverem até que o garoto percebeu que ela não se sentia bem com seu abraço. Rafa, como a loira sempre odiou chamá-lo, afastou-se dois passos e a encarou novamente.
          -O que está acontecendo? Você não parece feliz em me ver. Você não parece a garotinha loira que brigava comigo - sua voz era carinhosa, mas Jasmim não conseguia responder no mesmo tom meloso. Era não só não era a mesma patricinha por quem eles se apaixonara, como também se tornara algo muito maior. E até melhor.
         -Desculpe-me, Rafael. É que eu deixei aquela menina para trás e não quero voltar a vê-la. O problema é que olhar para o seu rosto me traz todas as lembranças de uma época que eu quero esquecer...
         -Se o problema é esse, não olhe para a minha cara. Basta olhar em meus olhos e me responder, ok? Eu sei que você mudou e estou disposto a te mostrar que também mudei. É só me dar uma chance.
         Jasmim não teve como conter o sorriso. Nove anos se passaram, mas Rafael ainda era o mesmo menino que fazia de tudo para vê-la feliz. Talvez o mundo não precisasse ser tão sério como ela o via. O tempo passara, sua personalidade mudara, mas no fim das contas viver era apenas uma brincadeira. Se Jas continuasse se preocupando com todas as regras, acabaria perdendo a diversão. E, quando chegasse o fim, não haveria nada que a fizesse rir.
         -Tá bem. Só uma chance. Não ouse me decepcionar, hein?

Beijinhos, StarGirlie.

sexta-feira, 4 de julho de 2014

O sonho não acabou

6 comentários:
     Senti a animação da bola se aproximando de meus pés. Escutei a voz de todos os brasileiros do estádio me apoiando. Meu coração estava disparado, mas nada me impediria a continuar a lutar pelo sonho de meu país.
      Até que algo atingiu minhas costas. A dor me dilacerou imediatamente, lançando-me rapidamente para o chão. Um joelho tinha se chocado diretamente com a minha coluna e eu não conseguia suportar o sofrimento daquela pancada. As lágrimas começaram a cair de meu rosto, mas não havia ninguém perto. O jogo continuava... O que estava acontecendo?
       Foi então que vieram me atender. A dor piorava a cada segundo e eu não conseguia parar de chorar. Ouvia a respiração pausada de todo o brasileiro em meu cérebro. Eles não podiam desistir. Eles tinham que continuar torcendo. Queria poder avisar que estava bem, mas a verdade é que eu não estava. Sabia que algo havia acabado ali.
       Meu corpo foi colocado em uma maca e eu já não podia enxergar os outros jogadores. O choro piorou. Não havia nada mais que eu pudesse fazer. Mas de uma coisa eu tinha certeza: o sonho do hexa não havia terminado. Eu podia não jogar mais na Copa, porém o resto da Seleção tinha mais um brasileiro torcendo por eles. Meu coração dizia que aquela fratura não destruiria a esperança de ninguém. Nós seremos capazes de ganhar esse Mundial. O gigante não desiste fácil assim.

Fiz esse texto em homenagem ao Neymar, que hoje foi ferido em campo. Escrevi a cena da fratura com o eu-lírico se passando pelo Camisa 10. Espero que nosso craque melhore o quanto antes e que o povo brasileiro não desista de torcer pela nossa Seleção. O sonho do Hexa está cada vez mais próximo!
Beijinhos, StarGirlie.


quinta-feira, 3 de julho de 2014

Etapa 2 do Desafio: Playlist!

12 comentários:
        São 5:43 da manhã de quarta-feira (02) e eu passei a noite em claro lendo o meu primeiro livro da Paula Pimenta: "Fazendo meu filme: A estreia da Fani". Nem preciso dizer que amei, né! Não consegui desgrudar da história da Fani e do Leo, então acabei madrugando e estou exausta em frente ao computador.
         Esse post não vai ser publicado na quarta e sim na quinta para manter o suspense de vocês por mais um tempinho, porém, eu começarei a ler outro livro ainda hoje e, pelo tamanho dele, o terminarei antes da Etapa 3, o que me dará uma vantagem no Desafio!
          Chega de enrolar e vamos ao que interessa. Minha missão era:
Segundo Livro
Agora que você já ultrapassou a primeira etapa, é hora de comemorar, mas não muito, já que faltam seis livros para cumprir sua meta. Para que você possa se divertir ainda mais lendo a história escolhida, você deve publicar uma playlist com 5 músicas que combinam com o livro e explicar o motivo de suas escolhas. 



5 - Diz pra mim - Malta

"Diz pra mim" foi a minha primeira música, pois trata muito bem sobre palavras não ditas, algo que atormentou a Fani durante praticamente todo o livro. "Diz pra mim o que eu já sei/ Tenho tanta coisa nova pra contar de mim/ Diz pra mim sobre você" - quem não lembra do afastamento da Fani e do Leo?

4- Can't take my eyes off you - Boys Town Gang

Não resisti a colocar uma música do CD super romântico que o Leo fez para a Fani de aniversário. Além de mostrar o amor do meu novo xodó literário, "Can't take my eyes off you" é uma das minhas músicas favoritas e não podia faltar na minha playlist! "But if you feel like I feel/ Please let me know that it's real/ You're just too good to be true/ Can't take my eyes off you"

3 - Really Don't Care - Demi Lovato (ft. Cher Lloyd)

Quem já leu o livro, sabe que a Fani se decepciona seriamente com um de seus amores fantasiosos (esse nem era tão fantasioso assim) e, pela reação da personagem, eu colocaria essa música como trilha sonora da cena em que ela termina esse capítulo cheios de mal-entendidos de sua vida. "Even if the stars and moon collide /I never want you back into my life/ You can take your words and all your lies". Demi arrasa sempre!

2 - Adriana Calcanhotto - Fico assim sem você

Não é só o Leo que sabe fazer CD's incríveis. Não posso dizer muito mais que isso sem soltar um spoiler, mas me permito confessar que certo trio de amigos também sabe escolher músicas muito lindas! "Tô louca pra te ver chegar/ Tô louca pra te ter nas mãos/ Deitar no teu abraço/ Retomar o pedaço que falta no meu coração"

1 - Scarecrow - Alex & Sierra

Meu casal favorito no mundo da música tinha que estar presente nessa playlist! Alex & Sierra me encantaram ainda mais com o seu primeiro single original e eu não consigo imaginar uma trilha sonora melhor para o casal (tão fofo quanto eles!) de Fazendo meu filme! "You're staring out the window/ And I'm out here in the street/ You stand there like a scarecrow/ And I'm begging you to speak"

"Fazendo meu filme: A estreia de Fani" me fez lembrar de momentos muito bons e também de coisas que eu perdi e não sei como recuperar. Acho que estou me sentindo um pouco como a Fani, mas ainda não perdi as esperanças de as coisas derem certo! 
Agora chega de falar de mim e vamos à terceira etapa:

Terceiro Livro
Você está chegando quase à metade de seu percurso e agora é hora de se esforçar ainda mais. Para que você preste muita atenção em sua leitura, sua missão é encontrar um quote perfeito que mostre a alma do livro para seus leitores e explicar o porquê de tê-lo escolhido.

Quando esse post for publicado, provavelmente eu já estarei lendo meu quarto livro, então, decidirei se irei encontrar o quote no 3º ou no 4º. Ah, vale lembrar, que nenhum dos dois faz parte da série "Fazendo meu filme" nem "Os Instrumentos Mortais". Estou tentando variar ao máximo para vocês!
Beijinhos, StarGirlie.

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Mais que um adeus

8 comentários:
       Manuela fechou o último caixote de livros. Seu quarto estava totalmente inundado de caixas e mais caixas de mudança. Nem mesmo o painel onde colocava fotos de seus amigos estava preso na parede. Tudo estava frio, sem alma.
       Aproximou-se da janela e viu a rua movimentada a vários metros abaixo. Um casal de namorados brigava na esquina. A jovem de cabelos pretos gritava sem parar com um menino bem mais alto do que ela. Ele parecia chorar, pedindo que a menina se acalmasse. Seus braços a envolveram, mas ela só o empurrava cada vez mais para longe dela.
       Manu pensou em subir o vidro para escutar melhor a conversa, porém aquilo não era correto. O casal estava tendo uma discussão tão séria que, mesmo sendo no meio de uma rua, parecia uma afronta escutá-los. Permaneceu apenas vendo-os, ocupando seus últimos minutos naquele apartamento com a visão daquele amor tão frágil.
        A morena olhou para o jovem e hesitou em tocar seu rosto. Preferiu por segurar sua mão. Ele puxou-a para mais perto, mas a menina voltou a se afastar. Manuela já estava ficando impaciente: por que ela simplesmente não pulava em seus braços? Foi então que o menino se ajoelhou diante da garota com o casaco xadrez e retirou de seu bolso uma caixinha azul.
       Aquilo foi suficiente para Manu. Ela tinha conseguido ver um final feliz naquele apartamento, mesmo que não fosse o seu próprio. Podia ter chorado muito naquele local graças as brigas constantes com seus pais, mas agora era capaz de ver que os seus problemas não iriam manchar de dor o mundo. Em algum lugar, sempre haveria alguém para trazer felicidade ao nosso Universo.
      Um dia, serei eu do outro lado. Um dia, eu também terei meu final feliz, pensou Manuela, sorrindo pela primeira vez em semanas. Aquele casal lhe mostrara que ainda havia luz no fim do túnel. Agora só restava encontrá-la.

Beijinhos, StarGirlie.