quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Sensações

    Seu cheiro está impregnado em meu vestido. Seus olhos da cor do mar estão cravados em minha mente. Sua voz ainda ecoa em meus ouvidos. Mas seus braços já não me envolvem mais. O vazio ao redor de mim me atormenta e eu não quero estar mais sem você.
    Ainda sinto o prazer do seu abraço, ainda escuto nossa música, experimentando as mesmas sensações daquela noite e ainda me lembro de como era bom conversar com você. Estar com você. E eu não consigo me acostumar com esse buraco que ficou em minha vida sem a sua presença.
    Quase um ano já se passou, mas você continua aqui. Na minha porta, esperando-me. E a verdade é que eu também estou parada, só esperando sua mão segurar a minha, seu corpo me abraçar mais uma vez. Porque, não importa o que eu faça ou diga, eu sinto a sua falta. E nada no mundo conseguirá apagá-la a não ser você.
     Então, volte. Volte para mim.

Beijinhos, StarGirlie.

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Nunca é tarde para mudar

       Depois de tantos meses afastada do Feitiço das Palavras, resolvi que não podia mais deixar esse pedaço de mim para trás. E, por isso, estou aqui diante da tela do computador de madrugada para tentar explicar tudo o que aconteceu para o meu sumiço e o que acontecerá daqui para frente.
        Esse ano comecei o Ensino Médio em uma nova escola e tudo mudou completamente. As matérias aumentaram 1000 vezes, a cobrança dos professores se tornou ainda maior e eu não conseguia de jeito conciliar minha vida escolar com a minha família e meus amigos. Quando eu tinha tempo livre, não conseguia deixar de querer ir ao cinema ou ao shopping e sempre quando voltava para casa estava exausta e não era mais capaz de escrever nada do blog. 
        Fui adiando e adiando e adiando minha volta para o Feitiço das Palavras e cada vez que eu tentava voltar, me via sem tempo novamente. Nas férias, quando esperava que teria tempo para escrever aqui, viajei para a Disney e simplesmente não sobrou nem um segundo antes da volta às aulas. Com o ritmo escolar retomado, tive uma rotina ainda mais corrida e cada vez mais me afastava daqui.
        Em agosto, eu não postei. Em setembro, eu não postei. E eu me recuso a deixar que em outubro os mesmos erros se repitam. Porém, para que eu possa compensar todo o tempo perdido, precisarei da ajuda de todos vocês. 
        Primeiro, preciso tratar sobre o final de A Última Escolha. A novela parou de ser escrita em fevereiro, com quase 20 capítulos faltando ainda. Oito meses se passaram desde então e eu espero que vocês entendam que já não me encontro mais no mesmo "clima" em que estava naquela época. Já tentei várias vezes continuar de onde parei e sempre paro, pois sinto que não eram essas emoções que eu queria transmitir quando comecei a escrever a novela há quase um ano. Por isso, peço desculpas a vocês e também imploro para que vocês entendam essa parada definitiva na novela.
        Segundo, sobre os textos só tenho uma coisa a dizer: irei postá-los sempre que eu tiver um minutinho sobrando! Como costumo escrevê-los na sala de aula, tentarei passá-los para o computador, pelo menos, uma vez por semana. Estou tendo certa dificuldade para encontrar inspiração nos últimos meses, mas tratarei de todos os assuntos possíveis até encontrar o que se aplica a mim novamente.
        Por último, tenho que pedir desculpas especialmente a uma pessoa, entre tantos leitores do blog, que há quase nove meses me propôs uma ideia tão maravilhosa, que, por falta de tempo, eu não consegui realizar. Raquel (do blog Viajando com Livros), por favor, me desculpe por toda essa espera! Antes de postar qualquer outra coisa no blog, irei cumprir minha promessa e te enviarei o nosso antigo combinado. Mesmo que ele não seja mais colocado em prática (a culpa foi inteiramente minha, então, eu te entendo se você tiver me substituído), irei lhe enviar, pois me senti tão feliz quando recebi seu convite que não poderia deixar ele passar de jeito nenhum!
        Espero que todos vocês me entendam e me acompanhem nessa nova fase do blog. Pretendo priorizar a postagem de textos e de outros assuntos que se relacionem com meu humor, mas espero que o quanto antes eu volte a postar as novelas. Porém, na próxima novela, não irei cometer o mesmo erro e irei escrevê-la inteira antes de começar a publicá-la. Nunca é tarde para mudar e a hora de começar é sempre agora. Vocês estão prontos para continuar nessa viagem comigo?

Beijinhos, StarGirlie.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Onde todas as palavras foram parar?

      Estou debruçada sobre o papel, implorando para que, pelo menos, uma mísera palavra apareça para afugentar essa dor que se recusa a diminuir. Preciso tirar essa angústia, preciso soltar essas palavras que estão presas dentro de mim, porém, nada parece forte o suficiente para arrancá-las de meu peito tão machucado.
       Eu não consigo mais escrever, não consigo mais desabafar, não consigo mais melhorar. As portas do meu coração estão se fechando rápido demais e eu não consigo alcançá-las a tempo. Estou trancada do lado de fora de meu próprio corpo e não sei como entrar novamente.
      As lágrimas caem sem parar, mas as fechaduras permanecem inquebráveis. Por favor, alguém pode me ajudar? Alguém precisa me ajudar. Eu não sei como acabar com essa situação, como encontrar eu mesma novamente. Estarei eu dentro de uma cela amedrontada, tentando pensar em algum modo de fugir? Ou simplesmente fugi e fui para um bonito lugar onde nada pode me ferir outra vez? Onde eu estou, onde toda a minha luz foi parar?
      Continuo a chorar e ninguém vem me socorrer. Só que, dessa vez, eu não consigo me levantar, porque sua mão não está lá para dar o único apoio que eu preciso. Eu não consigo me recuperar, porque sei que a única pessoa que pode me achar já não está mais ao meu lado. E nunca mais estará.

Beijinhos, StarGirlie.

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Dessa vez, não mais

      Tudo havia mudado no último ano e não havia como voltar ao que éramos juntos. Eu mudei, você mudou. Nós dois aceitamos nosso Destino e não é hora de tentar renegá-lo. Quando qualquer coisa e pessoa no Universo está obcecada em nos afastar, o melhor, e mais seguro, que podemos fazer é simplesmente deixar o outro para trás.
       Você já está em outra trilha, outro caminho, para a felicidade e eu já embarquei em minha aventura também. Estamos cada vez mais longe um do outro. Sei que nossas vidas se entrelaçaram novamente, mas isso não importa. Não podemos nos aproximar novamente. Não, não, não!
      Meu coração pode estar berrando, minhas forças podem estar se esgotando para me controlar e me conter para não segurar sua mão, mas, dessa vez, não irei ceder. Dessa vez, irei lutar o máximo que posso para ficar longe de você, longe de tudo que já fui. Porque a cada passo que dou para longe de você, um passo estou mais perto dele.

Beijinhos, StarGirlie.

Obs: estou de férias desde quarta-feira (26), mas ainda estava me acostumando com o ritmo relaxado e só agora tomei fôlego para voltar!

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Livros na Minha Escrivaninha

Não é só o blog que anda meio parado desde que comecei o 1º ano do Ensino Médio, a minha pilha de livros se manteve praticamente intacta também. Só li 10 livros esse ano, incluindo os pedidos pela escola, então tudo que estava acumulado continuou parado na minha escrivaninha. Não estou conseguindo arranjar tempo para minhas leituras e, por isso, resolvi mostrar os livros que tenho para ler. Vai se assim eu não arranjo ânimo (e vergonha na cara) para voltar a me afundar nos livros?

-A Letra Escarlate - não comecei
-A Pirâmide Vermelha - não comecei
-A vez da minha Vida – não comecei
-Alguém Como Você - não comecei
-Êxtase – pausado
-Feita de Fumaça e Osso – não comecei
-Gabriela, Cravo e Canela – não comecei
-Hush, Hush – Crescendo – não comecei
-Invencível - não comecei
-Ler o mundo – pausado (a pedido da escola)
-Morte Súbita – não comecei
-O lado bom da vida – pausado
-Olsa Pollock e o mundo invisível - não comecei
-Os Instrumentos Mortais: Cidade das Cinzas – não comecei
-Os Instrumentos Mortais: Cidade de Vidro – não comecei
-Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Anjos Caídos – não comecei
-Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos – não comecei
-Sonhos - não comecei
-Um Porto Seguro – não comecei
-Verso livre – não comecei

E vocês? A pilha de livros está parada que nem a minha, diminuindo ou crescendo ainda mais?
Beijinhos, StarGirlie.

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Resultado da Enquete

Primeiro, eu venho pedir desculpas pelo meu sumiço praticamente total nos últimos meses. Todos vocês já devem saber os meus motivos: escola, família, amigos... Não estou tendo muito tempo para entrar no computador, então não tenho entrado aqui no blog. Hoje me dediquei a responder TODOS os comentários atrasados e a comentar nos blogs que deixaram sua presença aqui. Agora que a parte "social" já foi cumprida, vou tentar fazer um post explicando como ficará a parte "séria" aqui do blog, como a novela, a minissérie e tudo mais que está atrasado!
Mas, por agora, está o resultado da enquete, que, por algum motivo, no começo tinha 13 votos e depois que eu a deixei funcionando por mais tempo os votos diminuíram para 4! Bem, como deu empate em quase todas as opções, resolvi entender esse resultado como: vocês querem que a gente escreva um pouco de tudo. Então, tá bom. O pedido de vocês é uma ordem!


Beijinhos, StarGirlie.

sábado, 25 de maio de 2013

Um mundo de hipocrisia

      Cátia entrou no palácio em que a festa de sua maior rival estava acontecendo. Todas as velas estavam acesas e o mundo parecia inundado em uma luz sombria, macabra.
      Os convidados se movimentavam como se estivessem enebriados com a magia obscura que sempre acompanhava os atos da podre convidada. Não importava o quanto ela lhes fizesse mal; eles pareciam dispostos a humilharem a se próprios para conseguir um segundo de sua atenção. Patéticos, desprezou Cátia enquanto entrava na pista.
      A festa era tão grandiosa quanto o lugar que a recebia. O traje seguia a linha de um baile de máscaras e, para garantir que ninguém aparecesse com fantasias ridículas, a anfitriã se prontificou de entregar todas as roupas na casa dos convidados no dia anterior. Porém, Cátia se recusara a aceitar o controle de alguém que claramente não merecia nem mesmo um pouco de admiração.
      Enquanto todos no salão estavam vestidos com tons de azul e prata, a convidada escolhera um maravilhoso vestido vermelho. Ela não queria aparecer mais que ninguém, só queria mostrar que não era hipócrita que nem aquela corja que povoava o local. Cátia não iria submeter às ordens de pessoas que só sabiam ferir quem não as seguisse. Ela não iria ser como eles queriam. Cátia definitivamente era ela e não se importava nem um pouco se aquilo atingia os outros. Sua personalidade ninguém mudaria.
      O anúncio foi feito e a poderosa aniversariante desceu as escadas. Seu vestido era branco como a neve, mas sua maquiagem era preta como as trevas. Cátia sorriu. Os olhos da anfitriã pareceram se contrair quando ela avistou a convidada na multidão. Entretanto, enquanto se aproximava para cumprimentá-la, Cátia sabia muito bem qual seria sua reação.
       E, como em um roteiro bem estruturado, a aniversariante lhe deu um beijo no rosto, sorriu e disse que havia amado o vestido que Cátia usava. Em seguida, pediu desculpas e disse que precisava cumprimentar o resto dos convidados. Tão sincera, tão amável.
       Cátia riu, enquanto a rival se afastava. Ela sabia muito bem que a Garota de Branco tinha odiado sua roupa que se destacava no cenário palaciano, mas não haveria gritos, nem barracos, nem sentimentos verdadeiros. Mas a convidada não podia culpar sua anfitrião: ela só estava seguindo os passos de seus convidados como eles seguiam os seus em um ciclo vicioso.
      Aquele era um simples mundo de hipocrisia. As pessoas nunca mostrariam o que realmente sentiam, nunca diriam o que pensam e nunca ousariam nadar contra a maré. Sinceramente, é uma pena que Cátia não tem medo de ser quem ela é, mesmo que para isso tenha que lutar contra cada um que tentar destruí-la.
      E, com um sorriso nos lábios, a garota deixou sua taça sobre a mesa e se concentrou na música que estava tocando. A noite estava apenas começando e ela ainda tinha muito o que dançar.

Beijinhos, StarGirlie.       

Este será o fim?