sábado, 11 de fevereiro de 2012

E o jeito como estamos juntos

        Eu estava conversando com minha melhor amiga. A chuva caía ao nosso redor, mas estávamos protegidas pelo guarda-chuva um pouco torto que segurávamos. Ambas esperávamos nossas mães chegarem e nos buscarem. O tempo estava piorando e não queríamos ser levadas pelo vento.
         Meu celular começou a vibrar em minha bolsa e logo vi que a mensagem era de minha mãe: estou chegando. Imaginei minha melhor amiga sozinha ali na chuva e perguntei-me mentalmente se deveria oferecer-lhe uma carona. Era o melhor a se fazer.
           Porém, enquanto minha boca se abria para convidá-la, o garoto mais lindo apareceu em minha frente. Eu já o conhecia. Era ele que tornava meus dias ainda melhores. Era o seu sorriso que me fazia corar. E ele estava na chuva. A água cobrindo seu rosto. Poderia pegar um resfriado, pensei. E eu não queria que nada de ruim lhe acontecesse.
            Não sei o que me deu. Só sei que saí do guarda-chuva de minha melhor amiga e me lancei na tromba d'água. Ele se virou para mim ao perceber que eu havia saído da minha zona de conforto. Seus olhos brilharam e quase não tive coragem de prosseguir. Imaginei nós dois doentes em meio àquela tempestade. Não era uma boa visão. Mas eu tinha a chance de fazer algo daquela vez.
             -Oi, a sua mãe já está vindo te buscar? - perguntei, sabendo que dependendo do que ele respondesse, a pessoa extra em meu carro mudaria bastante.
             -Na verdade, não. Estou esperando a chuva passar para poder ir para casa - ele lançou um olhar melancólico para a rua e imaginei como estar afastado de sua mãe estaria lhe fazendo mal. Os dois eram muito unidos.
             Segurei minha respiração e pensei em como ele estava sorrindo mesmo sob aquela chuva. Sabia que a mãe da minha melhor amiga estava apenas algumas esquinas de distância e que ela conhecia muitas pessoas naquele lugar, ao contrário dele. Ponderei se teria a coragem necessária. Eu precisava ter. Aquele era o momento que estava esperando.
             Ouvi a buzina e sabia que era o carro da minha mãe. Olhei nos olhos dele e esperei por algo que me ajudasse a continuar. Então, seus lábios se curvaram no meio sorriso que eu já tanto conhecia. - Quer uma carona?
             Enquanto ele entrava no carro comigo, depois de quase recusar, por acreditar que estava abusando da boa vontade da minha mãe, minha mente rodava em uma mesma imagem; no quase beijo que tivemos antes do meu carro chegar. Algo me dizia que esse quase ato iria se concretizar em pouco tempo. Eu nem imaginava que nem demoraria tanto assim.

Beijinhos, StarGirlie.

10 comentários:

  1. Respostas
    1. Que bom que você gostou, Jaque ;D Beijinhos, StarGirlie.

      Excluir
  2. Own!!!
    Que fofo, romântico!!! Adoro textos assim!! Completamente inspiradores!

    Beijos, da usa grande fã
    Larinha Andrade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico até vermelhinha ao ler isso! Beijinhos, StarGirlie.

      Excluir
  3. Star + garoto da chuva lalalala Star + garoto da chuva lalalala kkk
    Desculpa, não consigo evitar :P kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. srrsrssrsr Morri agora. Sério srsrsrsrsr Essa musiquinha devia pegar no colégio srsrsrsrsr Ta no chat? Beijinhos, StarGirlie.

      Excluir
    2. Kkkkk Eu amo zoar os outros, mas não gosto quando me zoam! Kkkk! Mas eu te amo, viu? :)

      Excluir
    3. srrrssrrs Também te amo, Tt ;D Beijinhos, StarGirlie.

      Excluir
    4. Dá uma passadinha no meu blog... Rsrsrs ~aprontei~ kkk brincadeira rsrs só um pouquinho... nem é... rsrs

      Excluir
    5. srsrsrsrsr Amei o post srrssrrssr Mesmo me "entregando" srsrsrsr Já comentei lá ;D Beijinhos, StarGirlie.

      Excluir

Escrever é expor seus pensamentos...
Coloque um comentário e venha se aventurar também!